FACULDADE EBRAMECTerapias Naturais: As propriedades da Lavanda na Fitoterapia - FACULDADE EBRAMEC

  • 11 2662-1713
  •  
  • 11 97504-9170

Terapias Naturais: As propriedades da Lavanda na Fitoterapia

Terapias Naturais: As propriedades da Lavanda na Fitoterapia

Lavandula angustifolia 

Alfazema

lavender-blossom-1595581_1920-300x200 Terapias Naturais: As propriedades da Lavanda na Fitoterapia

Parte utilizada: Folhas e sumidades floridas.

Composição química: Óleos essenciais (cineol, alcanfor, beta ocimeno, linalol, geraniol, furfurol, pineno, limoneno, cariofileno), sesquiterpenos, taninos, ácido rosmarínico, cap´roico e ursólico, fitosteróis, flavonóides, cumarinas entre tantos outros conhecidos.

Ações e indicações clássicas: Depressor do sistema nervoso central, anticonvulsivante, antiespasmódica, carminativa, digestiva, colerética, colagoga, aumenta secreção ácida no estômago, distúrbios digestivos de origem psicológica, dermatites, acnes, eczemas, feridas e úlceras, queimaduras, fissuras, diminui oleosidade do cabelo o uso tópico, estimula a circulação periférica relaxando as musculatura lisa dos vasos, taquicardia, vertigens, cefaleias, sedativa suave, antidepressiva, insônia, coadjuvante no estresse, auxilia a regularizar o ritmo biológico nos casos de mudança de fuso horário, antiasmática, gripes e resfriados, sinusite, amenorreia, leucorreia e uso externo para sarna e piolhos.

Interações: Pode aumentar os efeitos de depressores do sistema nervoso central.

Efeitos colaterais: Evitar o uso na gravidez e aleitamento. Podem ocorrer em superdosagens náuseas e vômitos, sonolência, cefaleias, constipação, dermatite de contato e confusão mental com torpor. Evitar em pacientes com gastrite, pois a planta pode irritar a mucosa do estômago, pacientes com colites e hepatopatias e em crianças menores que 7 anos, pois poderiam precipitar alterações neurológicas pré existentes.

Propriedades: Refrescante, picante, amarga, doce.


Medicina chinesa

Lembramos que os chineses construíram sua farmacopeia energética durante milhares de anos, portanto, o resultado apresentado nesta obra não é definitivo.

Elimina Vento Calor do exterior – Utilizada em padrões de vento calor acometendo a pele ou as vias superiores apresentando sintomas como cefaleia pulsátil, conjuntivite, inflamação na garganta e febre. Muito indicada para tratar vento calor na pele, apresentando rash cutâneo com coceira.

Circula o Qi – Promove a circulação de Qi no aquecedor médio e superior, principalmente quando relacionado à estagnação de Qi do fígado, por esse motivo também é utilizada para tratar problemas uterinos.

 

Contra indicações energéticas: Utilizar com cuidado em pacientes com vento interno por deficiência de Sangue, pois a erva movimenta fortemente o Qi, podendo agravar os sintomas.

Fonte: Conteúdo retirado da Fan Page do professor José Sencini

Saiba mais em: http://ebramec.edu.br/curso/terapias-naturais/